A nova era do Ethereum está próxima. A “The Merge”, como ficou conhecido o evento, é a transição do mecanismo da blockchain. De acordo com os analistas, a mudança pode trazer alguns benefícios aos usuários e possibilitar uma maior valorização do ativo. No entanto, esse é um processo lento. A fusão está prevista para os dias 15 e 16 de setembro.

A atualização consiste na mudança do mecanismo da rede para um sistema mais ágil e correto no quesito ecológico, o proof of stake. Com isso, a mineração não será mais necessária. No universo cripto, essa é a primeira vez que algo desse nível acontece.


Taxas mais baratas
Alguns usuários acreditavam que após a Fusão, as taxas ficariam mais baratas. No entanto, a fundação já esclareceu que isso não deve acontecer. Isso porque a transição não altera nenhum dos fatores que influenciam a definição das taxas.

A longo prazo, porém, é possível vislumbrar que as taxas fiquem, de fato, mais baratas com a implementação de novas atualizações. A expectativa é de que no próximo ano isso comece a acontecer.


Ethereum a US$ 5 mil
Analistas estão otimistas com a Fusão do Ethereum. De acordo com eles, as alterações da rede serão responsáveis por solucionar alguns problemas da blockchain. Nicholas Merten prevê que o ativo deve chegar na casa dos US$ 5 mil após as atualizações, com uma disparada nos preços.


Fim da competição
O analista Valter Rebelo acredita em resultados ainda maiores para o Ethereum. Após a Fusão, ele afirma que será impossível competir e “bater de frente” com a ETH.

Vale ressaltar que criptomoedas como Solana (SOL) e Cardano (ADA) foram criadas com o objetivo de competir, de forma incessante, com o Ethereum. Muitos dizem que o intuito desses ativos era justamente acabar com a segunda maior criptomoeda do mundo.
Congestionamento da rede

Caso a The Marge seja concluída com sucesso, o próximo passo será o lançamento de cadeias de fragmentos para diminuir o congestionamento da rede. Com um maior número de fragmentos, a blockchain poderá absorver mais informações com taxas menores. Esse fator incide sobre os preços que foram citados acima.


E se a The Marge falhar?
A fusão do Ethereum é o que vem movimentando o mercado de criptomoedas nos últimos tempos. Mas, como em toda mudança, pode haver falha. Caso isso aconteça, o cenário, que já passa por um momento delicado de perdas e sofre com os impactos da economia mundial, poderia piorar ainda mais a realidade dos ativos digitais.

Uma falha causaria nos investidores receios e desconfianças, o que poderia gerar um impacto direto sobre o valor do ETH e de outras criptomoedas.